16/02/2014

Raios e trovões... gritos e orgasmos.

Já reparou que depois que cai um raio, ouve-se um trovão?
E já reparou que pode se ouvir um trovão sem ver cair um raio?
Pense nisso...
É algo comum, certo?!
Todo mundo pode comprovar isso!
Agora pense no seguinte: quando o raio surge, há o trovão.
Quando ela atinge um orgasmo, ela geme, grita...
E às vezes há o trovão, mas não houve o raio.
Às vezes ela geme, grita... mas não teve um orgasmo!

As mulheres dizem-se incríveis por serem capazes de fingir um orgasmo.
Particularmente acho isso ridículo!
Penso que uma mulher decide fingir um orgasmo por dois motivos:
Primeiro – A transa tá chata demais, cansativa demais e ela sabe que o cara não vai parar até ela gozar.
Segundo – Ela sente pena do cara que se esforçou pra caramba e finge pra ele não ficar “deprimidinho”.
Por isso eu acho ridículo quando elas fingem o orgasmo!

No entanto, em nenhum desses dois casos, a culpa é da mulher.
Ela age assim por acreditar ou desejar motivos que pra ela são importantes ou necessários.
Ridículo mesmo é o homem que se deixa convencer pelo barulho!

O orgasmo feminino é muito mais complexo do que o masculino.
Por uma questão animal, o homem atinge o orgasmo com mais facilidade por que é pelo gozar dele que a espécie prevalece.
Num contexto animal, a mulher não precisa atingir o orgasmo para ser fecundada.
Existe também uma questão social.
Os homens sempre foram tachados como os mais “obcecados” por sexo, logo, a mentalidade do homem é mais sexual de modo ativo do que a da mulher, ou seja, o homem é mais facilmente influenciado pela ideia de ser um “tarado”.
Outro fator é o contexto comportamental.
Homens se masturbam mais e isso intensifica sua sensibilidade.
Já as mulheres, por outro lado, se masturbam menos. Algumas por vergonha, outras por serem “castradas” pelo modo como a sociedade as educa nesse aspecto e algumas outras por pudores em excesso.
No entanto, o que mais dificulta o orgasmo feminino é que diferente do orgasmo masculino, ele não depende simplesmente do atrito e excitação física.
No caso das mulheres, o lado psicológico é muito mais influente.
Tão mais influente, que algumas desenvolvem bloqueios que impedem o orgasmo mesmo diante da extrema excitação. Alguns destes bloqueios, inclusive, podem impedir o orgasmo por toda a vida sexual da mulher.
São muitos tipos de bloqueios e muitas razões diferentes, mas existem alguns que são “motivados” por ações dos homens.

Muitos homens são desesperados demais em nome de sua própria satisfação, logo, transam buscando apenas o seu próprio orgasmo. São poucos os homens que conseguem gozar e continuar transando, isso não é um pecado, o corpo masculino funciona de um modo que fica difícil realmente continuar, mas o homem peca ao se empenhar apenas para si.
Algumas mulheres se bloqueiam pelo desejo de continuar transando e nesse caso, a culpa é do homem.
Veja bem, se depois de gozar o homem para de transar, de algum modo a mulher compreende que o orgasmo representa o fim da transa. Logo, se ela está gostando e sente os impulsos do orgasmo, sente que se gozar ela também irá ter de parar, daí evita o orgasmo.
Se você pensa que tenso é ela fingir, não sabe que tenso mesmo é ter de impedir!
Isso vira um problema ainda maior, pois de um modo muito estranho, ela se acostuma com o bloqueio muito mais facilmente do que com a liberação. Daí a coisa fica bem complicada, pois dependendo do homem, a ideia ficará cada vez mais reforçada na mente dela, pois o cara goza e para.

Mas sinceramente, acho que isso nem o grande problema de tudo...
Acho que o pior mesmo é o camarada ficar se sentindo o pica de ouro só por que ouve muito barulho...
Eu imagino que se houvesse o costume feminino de dizer; Gozei, ou não Gozei; muito camarada ia ficar bem frustrado!

Então, pra você que não quer ser apenas mais um usando clichê e quer mesmo causar prazer pra ela, não fique achando que os gritos e gemidos significam orgasmos.
Claro que ela sente prazer, mas não o máximo prazer.
Concordo que não é algo que se possa considerar como responsabilidade, mas na boa, dá pra deixar as coisas mais interessantes se o cara tiver um pouco mais de empenho e se deixar de lado a crença barata de que barulho é orgasmo.

Pra mulheres sem bloqueios, o esquema é o tradicional. Aquele que muitos esquecem; preliminares, atenção, interesse e muita excitação.
Já para mulheres que possuem bloqueios, o melhor esquema, ainda assim não é infalível, é deixá-la tão excitada que ela quase peça para ter um orgasmo.
As preliminares com mulheres assim precisam ser ainda mais intensas, a atenção tem de ser redobrada, o interesse tem de ser genuíno e no caso da excitação, tudo deve transcender ao físico.
Como a maioria dos bloqueios é psicológico, o segredo é excitar a mente dela e não apenas o corpo. E a excitação normal começa com a confiança!
Ela até pode sentir desejo pelo cara, mas se não confiar, ela não vai declarar tal desejo, não vai expressar tal desejo e pode acabar se frustrando ainda mais.
Por isso, é preciso conquistar a confiança dela para que ela saiba que pode se entregar sem receios e pudores.
Depois é preciso fazer com que ela pense na relação, pense no ato, pense em sexo.
Ela precisa estar em sintonia para que os bloqueios sejam enfraquecidos e depois...
Depois é que a coisa fica interessante!

O ponto mais “poderoso” do bloqueio é justamente quando ela está preste a ter o orgasmo.
Se o cara fez tudo certinho, este é o ultimo momento critico.
Nessa hora, o empenho do homem deve ser ainda mais dedicado a ela.
E por mais incrível que pareça, nessa hora o que conta de verdade é o modo como o homem se expressa em relação ao prazer que sente.
Nessa hora, não tente se conter, deixe fluir suas sensações, expresse-se do modo como o seu prazer lhe permitir.
Ela vai se prender na ideia de que está te causando prazer, vai se conectar com isso e o prazer dela será maior.
Mulheres são mais inseguras do que os homens, logo, se ela tiver certeza de que está causando prazer, ela certamente vai se sentir confortável e confiante.
E as chances de um orgasmo aumentam consideravelmente em casos assim!

Nenhum comentário:

Postar um comentário